Conversa entre os Criadores de Madoka Magica e Lobo Solitário

Como diria o Mais de Oito Mil, como diabos os blogs de anime brasileiros teriam sua pauta de todo dia?

Mahou Shoujo Mimitsuki Mimi no QED, o novo trabalho de Kazuo Koike

Assim, quando surge o relato de um interessante papo entre Gen Urobuchi [criador/roteirista de Mahou Shoujo Madoka Magica] e Kazuo Koike [mangaka responsável por Lobo Solitário e Crying Freeman], este blog sente-se de traduzir o material para você, leitor em língua portuguesa. Fonte dada, o restante do artigo é autoria de Ko Ransom, fonte japonesa do consagrado site – com tradução para o português por Qwerty. Boa leitura!

O mangaka Kazuo Koike [Lobo Solitário, Crying Freeman] falou com o escritor Gen Urobuchi [Mahou Shoujo Madoka Magica, Fate/zero] no Domingo [29/01/2012] durante a sétima edição de seu programa ao vivo via internet Koike Kazuo no Nico Nico Character Juku. Os dois criadores discutiram vários tópicos, entre eles as semelhanças e diferenças em seus respectivos estilos de escrita, a história de Mahou Shoujo Madoka Magica e a grande influência do estilo psicológico de criação de personagens [sobre a qual Koike escreveu a respeito].

O programa começou com Koike, que expressou seu grande apreço por Madoka Magica, explicando como foi surpreendido pelas muitas maneiras em que o roteiro de Urobuchi para a série diferia de seu método para contar histórias e construir personagens. Então citou que uma dessas diferenças foi suas respectivas maneiras de nomear personagens, com Koike dizendo que nomeia os seus de maneira direita e fácil de lembrar para que os leitores entendam imediatamente sua personalidade e não os esqueçam, enquanto os personagens de Urobuchi tem nomes conflitantes com sua personalidade e podem ser difíceis de lembrar e compreender. Disse ainda que vendo a abordagem de Urobuchi conseguiu perceber que este método pode funcionar muito bem para convidar o espectador e se envolver mais a fundo na história e trabalhar ativamente para entender os personagens. Urobuchi adicionou que seus personagens são nomeados de maneiras únicas para que seja fácil de pesquisar sobre estes em sites como o Google, e como a técnica de Koike de ter o nome do personagem correspondente a sua personalidade é tão frequente sentiu que ao não segui-la poderia ser capaz de destacar-se [neste aspecto].

Koike também notou que suas abordagens quanto ao ritmo de uma história são bem diferentes: enquanto este faz grande esforço para atrair a atenção do leitor dentro das primeiras sete páginas de um manga, um espectador comum pode achar difícil de entender a direção de Madoka Magica até o terceiro episódio. Urobuchi respondeu que esta abordagem que usou que consiste em inserir o espectador dentro de uma situação não-familiar no primeiro episódio, explicar as regras do mundo aonde a história se passa no segundo e criar uma surpresa [plot twist] no terceiro foi algo que aprendeu com o roteirista de anime Yousuke Kuroda [Ano Natsu, Gundam 00, Trigun]

Koike também perguntou a Urobuchi questões sobre Madoka Magica da perspectiva de um fã. Começou perguntando a Urobuchi se Madoka virou uma deusa no fim da série, e Urobuchi respondeu que isso depende da definição de cada um sobre o termo – dizendo que na essência ela tornou-se as regras que governam o mundo da série. Quando perguntado sobre a posição de Homura no fim da obra, ele descreveu-a como uma evangelizadora que é a única pessoa no mundo em que vive que entende a existência e o papel de Madoka. Urobuchi acrescentou que ao contrário de muitos casos em anime, o diretor da série [Akiyuki Shinbo] lhe deu um grau muito amplo de liberdade sobre o conteúdo da história, e que muito de seu processo de escrita foi influenciado pelos desenhos dos personagens que recebeu da character designer Ume Aoki.

Ao longo da conversa, Koike notou que estava aprendendo muitas coisas novas sobre roteiro com Urobuchi, e que esperava incorporá-los em seu novo título, Mahou Shoujo Mimitsuki Mimi no QED, uma história sobre uma garota mágica que é mandada para o mundo humano para aprender sobre tecnologia avançada. Koike também mostrou um sketch da protagonista da história e afirmou que o Nico Nico Seiga [parte de imagens do Nico Nico] estará envolvido com a distribuição da série.

Continuando a discussão, Urobuchi e Koike responderam perguntas selecionadas enviadas por espectadores do stream ao vivo do Nico Nico Douga. Um destes notou que muitas das obras de Urobuchi são bem hardboiled [com relato cru e sem sentimento de sexo e principalmente violência; a palavra em si tem conotação forte de duro] em seu estilo, e perguntou quais outros gêneros ele gostaria de trabalhar se lhe fossem dada a chance. Urobuchi respondeu que ele não considera suas obras hardboiled o bastante, já que seus todos os personagens tem fraquezas que ele tenta destacar. Também respondeu que um roteiro um estilo realmente hardboiled é bastante baseado em fatos, com poucas explicações óbvias sobre os motivos dos personagens, o que poderia causar aos espectadores modernos confusão e perda do interesse.

Outros espectadores questionaram Urobchi diretamente sobre Madoka Magica. Um destes perguntou sobre o significado das asas pretas vistas no final da série, mas Urobuchi rapidamente respondeu que ele mesmo não sabia, já que elas nunca foram mencionadas no script – foram é adicionadas pelo Gekidan Inu Curry, os designers de produção da série. Ele apontou que adições feitas pelo time de produção da animação adicionaram mistério e profundidade aos personagens, sendo que sem eles seria muito difícil escrever qualquer outra história no universo da série – e também indicando que o significado por trás das asas possa ser explicado na trilogia de filmes de Madoka Magica. Outro espectador pediu para que Urobuchi explicasse a ecologia da espécie [Incubator] do personagenm Kyubey – o qual não obteve resposta direta, ao invés disto explicando que ao mostrar ações como o canibalismo dos mortos presente entre estes com o intuito de não desperdiçar energia quis enfatizar a diferença fundamental na moral entre estes e os humanos.

Depois Urobuchi foi questionado sobre quais outros títulos e criadores tiveram alguma influência em sua obra. Quanto a história de Madoka Magica, Urobuchi disse que foi muito influenciado por três animes do Diretor Akiyuki Shinbo: Hidamari Sketch, Le Portait de Petite Cossette e Mahou Shoujo Lyrical Nanoha. Quanto a influências mais gerais em suas carreiras de escritor, tanto Urobuchi quanto Koike falaram muito bem de Stephen King, com Koike citando Angústia como uma obra muito importante para este.

Quando a conversa chegou ao fim, Urobuchi admitiu que estava nervoso por pela primeira vez estar falando através de um stream via internet – e com Koike, que tem o dobro de sua idade, mas que tudo acabou sendo surpreendentemente fácil de falar na hora e meia em que o programa durou. Koike respondeu que mesmo em sua idade de 76 ainda quer estar apto a encontrar novas idéias e técnicas que empolguem, e que sua conversa com Urobuchi foi uma experiência de aprendizado a este.

1 comentário

Arquivado em Curiosidades

Uma resposta para “Conversa entre os Criadores de Madoka Magica e Lobo Solitário

  1. Pss

    Como chamar a Pss para um post: Mencione Crying Freeman. Agoro esse autor.

    Interessante notar as influências e formas de criação de dois autores diferentes, e os pontos em q essa diferença de estilo se converge em resultados semelhantes nos sentimentos do leitor/espectador.

    Obrigada por traduzir, de outro modo eu nao teria acesso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s