Fate/prototype

Simplesmente o melhor trailer do mundo.

Certamente uma das grandes franquias otaku dos anos 2000 é Fate, expressão máxima do poder e influência dentro do fandom de anime e relacionados do conceituado estúdio TYPE-MOON [que produz as chamadas Visual Novels]; claro que também temos por este Tsukihime e Kara no Kyoukai, ambos também adaptados para anime.

Mas é Fate e suas três adaptações animadas [Fate/stay night; FSN: Unlimited Blade Works; Fate/zero] que realmente conseguiu quebrar barreiras, consolidando o TYPE-MOON juntamente com o key como os grandes e mais conhecidos autores deste tipo de produção que constitui um dos pilares para quem realmente está disposto a ter uma experiência otaku mais a fundo.

Assim, por que não explorar comercialmente a franquia ao máximo? Neste espírito é que surgiu Carnival Phantasm, série de Original Video Animation animada pelo estúdio Lerche [Tsukihime foi feito pelo J.C.STAFF; Fate/stay night, pelo Studio DEEN; e os demais pelo ufotable] com doze mini-episódios que basicamente trata de brincar com os personagens de Tsukihime e FSN de todas as formas possíveis.

Um bom aperitivo para os fãs, mas nada além disto. Tanto que o bônus incluso no último dos três discos e que dá o título deste artigo é a grande cereja no bolo da série. Em apenas doze minutos [créditos inclusos] temos basicamente um longo trailer que adapta partes da primeira versão de Fate [afinal, é seu protótipo], escrita por Kinoko Nasu [principal autor do estúdio] quando este ainda estava no Ensino Médio.

E nesta versão temos basicamente a mesma ideia básica, mas apresentada de forma muito diferente – a começar pelo fato de termos uma protagonista, Ayaka Sajyou, e um Saber homem. Claro que estes tem personalidades que são a base para os personagens com sexo invertido de stay night, mas somente esse fato faz com que a dinâmica entre os personagens seja diferente.

Além disso, coisas como o fato do grande rival de Saber, Gilgamesh, [em uma versão que realmente soa mais como rival do que o vilão que se tornou posteriormente] agora ser o Archer [ao contrário de FSN aonde este aparece “de surpresa” no segundo cour do anime] é algo que ainda conseguiu ser aproveitado posteriormente [em Fate/zero, este é o Archer na Guerra pelo Cálice Sagrado anterior] – apesar do clima épico de Saber X Gil aqui ter sido completamente esquecido posteriormente.

Mas desde a presença de personagens como Sancraid Phahn [acima] até a aparição da irmã de Ayaka após os créditos temos diversos elementos que mostram o quão esta obra deriva da que foi lançada em 2004 como Visual Novel no Japão – e a afiada direção de Seiji Kishi [Angel Beats!, Persona 4 the Animation] mostra que sim, aqui há potencial para recontar sem repetir a história de um anime que francamente, em apenas cinco anos já tornou-se algo datado.

Claro que há inúmeras maneiras de continuar a vida longa e próspera da franquia Fate, sendo a mais óbvia destas uma animação de Heaven’s Feel – única das três grandes rotas do original ainda não adaptadas para esta mídia – mas Fate/prototype é potencial puro de um bom entretenimento de qualidade. Infelizmente deve ficar no trailer, portanto aproveite porque está ótimo.

3 Comentários

Arquivado em Reviews

3 Respostas para “Fate/prototype

  1. Será que se Fate fosse assim desde o inicio minha waifu seria a Ayaka Sajyou ou seria a Tohsaka? É pra se refletir.

  2. Tai_KUN

    Seria mais logico o “Rei Arthur” ser homem né…. masssss…. ‘-‘
    E eu prefiro o design do Gilg atual…. :p

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s