Guilty Crown #16: O Tirano

Em Guilty Crown, até mesmo o episódio de build-up tem mais surpresas do que supõe a vã filosofia.

Após a impactante morte de Hare no episódio quinze [sim, este artigo estará repleto de SPOILER da série até aqui], Shu Ouma vira o tirano que apesar das boas intenções que serão mostradas mais a frente mais a frente neste próprio capítulo já torna-se capaz de muita coisa para atingir seu objetivo de retirar todos os presentes na escola Tennouzu, da qual virou o presidente do grêmio estudantil [e neste mundo bizarro do segundo cour aonde todos os adultos literalmente foram embora, quem manda ali de facto].

Mesmo que isto signifique tratar como lixo Argo, membro dos Undertaker [grupo do qual Shu fazia parte na primeira metade do anime] que chega próximo a escola em busca da ex-presidente do grêmio Arisa Kuhouin – dado que seu poderoso avô pediu [claro, em troca de favores] para retirá-la do Japão. Não só este é muito mal recebido por Shu e amigos [principalmente Yahiro, agora praticamente seu braço direito], como acaba sendo é preso.

Argo – e uma menina que aparece somente para morrer neste episódio, afinal Guilty Crown é uma série que sabe ser sutil – acaba sendo uma ferramenta utilizada aqui para mostrar o que importa: a confusão que existe na cabeça de Shu após a série de eventos ocorrida até aqui na série, particularmente nesta insana segunda metade.

E ao contrário do que o tom decidido de outrora parecia dizer, este está é mais confuso do que nunca ao ter que mostrar uma face tirânica a todos para somente no conforto da solidão no imenso jardim interno com Inori poder desabafar um pouco de seus sentimentos – afinal, esta é a única pessoa na qual verdadeiramente confia.

Sim, mesmo com a revelação no final do episódio de que Yahiro manipulou Shu com a história de que Hare morreu por conta do vírus quando na verdade o que aconteceu é o fato de que quando um Void é danificado além da conta, seu usuário morre – e assim isto [afinal, agora os estudantes estão absolutamente reféns deste tipo de poder que é a base inclusive do ranqueamento a que estão sujeitos] torna-se vital para o roteiro, temos que este realmente acredita é na boneca de cabelo rosa.

Esta que por sinal prova-se cada vez mais maluca – alguns poderiam até encaixá-la no famoso fetiche das yandere mas o que acontece realmente é que esta bonequinha parece completamente insana, tão insana quanto sua original [Mana, a irmã de Shu do qual ainda pouco sabemos]. E assim, todo o enredo que gira em torno da ex-presidente do grêmio simplesmente acaba com um tiro envolvido por um sorriso assustador desta.

Enquanto isso, chegamos ao clímax do embate entre Shu, Argo e Yahiro; afinal, há alguma esperança de retorno ao velho e bom Shu que apesar de tudo era admirado e não temido? Ao arrancar o Void de Argo para em seguida dar o mais insano dos sorrisos, ao que parece este também atingiu um ponto do qual não volta mais, nem tomando outro tapa na cara de Ayase. Porque esta, ao contrário de Tsugumi, é mais inocente e ainda tenta alguma coisa.

E assim, após os importantes anúncios de que está chegando uma imensa frota via Oceano Pacífico para invadir o Japão e de vermos o surgimento do que é provavelmente um clone do Gai [sim, o Gai!] mais este episódio de Guilty Crown que diverte de forma profundamente errada chega ao seu fim.

Sim, porque apesar daqui temos uma direção que preocupa-se em fazer o episódio passar rápido – e sim, os 23 minutos de duração por episódio da série parecem menos – o roteiro continua, neste imenso build-up rumo a um final épico [ou não]; e bem, veremos se os próximos episódios motivam a continuar esta série de artigos que espero ser menos resumo e mais explanação de ideias sobre o episódio. Até a próxima!

2 Comentários

Arquivado em Episódio a Episódio

2 Respostas para “Guilty Crown #16: O Tirano

  1. Leuzinho

    Este anime assume que você, espectador, é um idiota completo. Vamos começar com o primeiro episódio, quando Inori e Shuu se encontram. Assim que a polícia prendem a garota, eles então acham que conseguiu o frasco Genoma Void. Eles também notam Shuu, e prendê-lo, não? Em vez disso, arrasta Inori de volta para a van e quando chegam no quartel, percebem que ela não tem o frasco mais. Com certeza deve ser fácil para se tornar um policial no Japão. ahahaha

    E sem falar que os diálogos é uma tortura neste anime. Até escritores do Brasil escrevem 10 vezes melhor que eles. Mas animem-se, pois há muitos que ainda irão assistir e ignorar estes erros, pois ainda irão “comer muito no futuro” (ler tramas muito melhores que estas, aí entenderão e darão mais valor o seu tempo).

  2. Pingback: Guilty Crown #17 – Êxodo | Nahel Argama

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s