Primeiro Episódio: Sankarea

Sua comédia romântica otaku de sempre com um toque de zumbis [e do estúdio SHAFT].

Baseado no manga de Mitsuru Hattori em publicação desde 2009 na revista mensal Bessatsu Shounen Magazine, SankaRea conta a história de Rea Sanka [que na ordem japonesa dá título à série] – sua garota bonita, rica, perfeita – que após certos eventos acaba morrendo e tornando-se uma zumbi. Uma bela de uma zumbi. Moe~

Mas no anime de 1-cour que estreou em Abril/2012 vemos o ponto de vista do protagonista banana desenhado com alguns traços de gato, Chihiro Furuya, seu bom garoto de sempre que tem como característica distintiva o fato de ser fanático por zumbis. E após seu gato Babu ser atropelado – e portanto morrer – este acaba dedicando-se a tentar revivê-lo através de um estranho livro. E é neste momento que a garota do título cruza sua vida…

O maior trunfo deste Primeiro Episódio de Sankarea é transmitir de forma correta o misto de sensações que compõem o universo do protagonista: o tédio da vida cotidiana [o que inclui a visita de sua prima e amiga de infância que, claro, fará parte do harém armado desde o primeiro minuto aqui], a perda de seu querido gato e a obsessão seguinte que o faz descobrir [sem saber] a fórmula da ressureição [mesmo que seja por zumbi-ficação].

Sanka, Rea acaba sendo pouco explorada aqui: é simplesmente a menina bonita, rica e perfeita acima que, em um momento de desespero, acaba coincidentemente abrindo o seu coração ao espectador e ao protagonista. Após rápidas – e muito convenientes – conversas [e alguns buracos/cortes a serem fechados mais a frente] para construção de clima, esta surge no final do episódio suja de sangue. Enfim, habemus zombie.

Junto com o J.C.STAFF, o Studio DEEN é conhecido pelos otakus por essencialmente jogar seguro [o que muitas vezes acaba estragando obras à toa com decisões marqueteiras associadas a falta de talento de certos estafes]; assim, a clara influência de diversas trucagens típicas do Studio SHAFT surpreende um pouco aqui. Em tom sempre moderado, mas percebe-se desde certos posicionamentos de câmera até algumas escolhas na fotografia que o polimento adotado segue esta linha.

E o que poderia facilmente potencializar as falhas do anime acaba sendo um ponto positivo nas mãos do novato diretor Mamoru Hatakeyama, que entrega uma obra longe de ter qualquer destaque mas que sabe fazer o arroz-com-feijão de cada dia.

E em uma obra que, longe de querer agradar qualquer crítica, tem como objetivo agradar o público e vender, acaba entregando um resultado agradável para quem deseja passar o tempo assistindo àquilo dito na primeira linha: uma comédia romântica na qual a protagonista é uma zumbi.

Mesmo sendo algo agradável de se assistir, falta claramente o quê a mais primordial para principalmente os japoneses torrarem seu suado dinheirinho aqui [se bem que é inútil querer adivinhar os critérios da pequena base otaku que levanta e destroi franquias] – nem mesmo os personagens parecem carismáticos o bastante.

Mas é o típico anime bonitinho [mesmo que com valores de produção na média] e agradável que muitos acabam assistindo até o final, mesmo que no geral seja mais um; ou Rea provará-se uma popular esposa daqui para a frente? Potencial é o que não falta neste quesito.

12 Comentários

Arquivado em Primeiro Episódio

12 Respostas para “Primeiro Episódio: Sankarea

  1. Esse anime é recheado de absurdos sem sentidos e que de um ponto de vista racional tornam os protagonistas da série com sérios problemas mentais, mas isso não vem ao caso já que é algo do cotidiano dessas séries acabamos anestesiados com esse tipo de coisa, afinal de contas por que uma garota não seria amiga de um rapaz jovem que está em um prédio abandonado em um dia de chuva, que é um stalker praticamente de magia negra e que fica andando pra lá e pra cá com um cadáver de um gato que morreu há semanas… É a coisa mais sensata a se fazer.

    Do mais, quando o protagonista falou que queria encontrar um zumbi “kawaii”, logo pensei que ele não precisa procurar mais, é só apresentar ele ao zumbi mais fofo da face da terra: http://img689.imageshack.us/img689/5702/kore20wa20zombie20desu2.jpg

    • Roberta

      Acho que se tratando de algo como Sankarea (tipo Zombie Desu), totalmente viajado e quase, quase uma paródia (afinal,tá invertendo um conceito já estabelecido, que são os zumbis), não precisa se preocupar tanto com certas coerências. O próprio plot já absurdo por demais, até mesmo no campo da ficção 😀

      E gostei do ” já que é algo do cotidiano dessas séries acabamos anestesiados com esse tipo de coisa”. REALMENTE XDDD
      Nesse caso, me incomoda mais um Space Brothers, que tenta passar um quê de realidade e ao mesmo tempo, um civil comum (e já velho pra algo do tipo) consegue ter acesso a Nasa.

    • Carlos

      “afinal de contas por que uma garota não seria amiga de um rapaz jovem que está em um prédio abandonado em um dia de chuva, que é um stalker praticamente de magia negra e que fica andando pra lá e pra cá com um cadáver de um gato que morreu há semanas… É a coisa mais sensata a se fazer.”

      Bom vc com ctz não le o manga, Por que alguem que esta desesperado odeia a vida que tem é molestada pelo pai vem nun lugar abandonado desabafar. Axo bem normal.
      Ela é vulneravel psicologicamente, se alguem for legal com ctz essa pessoa ira se abrir.
      Spoiller………………… Ela odeia tanto a vida dela que comete suicidio. Ou sjea pra ela naquele monento de ele matese ela ela não ligaria ela ja estava na merda, a vida dela era um lixo.

  2. th.apc16

    eu como um fã do mangá, acho que ele vai ser até que mediano para bom,a história é interessante, a ideia é interessante pois essa visão de zombie que o autor nos mostra é muito diferente dos zombies de resident evil e HOTD por exemplo.
    e essas diferenças são muito plausiveis como a rigidez cadavérica, ela não se regenera, e a fome como instinto,
    tudo é muito interessante principalmente o processo de transformação de humana para a “fase completa do zombie”, spoiler
    mas o que ta me deixando com medo, é dar a um diretor novato um mangá com:
    _uma ordem cronológia lenta no mangá dois volume equivale a uma semana mais ou menos; o que quer diser vários minutos de conversação inúteis pra passar o tempo
    _a história está em aberto (muito aberto por sinal) o que me leva a crer em adaptações irritantes no final
    _o diretor já mostro nesse primero episódio um certo gosto por adaptações, até que aquela primera parte do episódio que não tem no mangá foi de um jeito interessante, mas me deixo com uma pulga atras da orelha.
    resumindo eu gosto do mangá, muito até, mas to com medo dessa adaptação pra anime, que como de costume pode ser mal adaptada

    • Até aqui pareceu intrigante, mas realmente a qualidade pode decair – e muito. Mas pode apostar que muitas adaptações são colocadas aqui, o que faz parte do estilo SHAFT de ser [mesmo que no DEEN].

  3. Carlos

    Eu ate gosto dessas analises de 1° episodio mais as acho muito sem sal, elas não transmitem a essência dos animes visto que sempre os 1° episódios são basicamente apresentação dos personagens.
    Acho valida essa 1° impressão + gostaria de ver um novo review apos três episódios no mínimo, oque pra min, é o numero ideal para você poder ter uma ideia de como será a serie.

    Fica ai a dica/ pedido não só para sankarea + para todos os outros animes uma segunda opinião apos o 3° episodio. Realmente gostaria de ler isso.

  4. O protagonista nem é banana. É um banana com carisma pelo menos.
    Vai ser uma anime bacana de assistir.

  5. Roberta

    O fato de ser visualmente bem bonitinho inspira uma vontade em continuar vendo e claro, também em saber no que isso tudo vai dar. Mas mesmo esse primeiro episódio não decepcionando, não me pareceu tão empolgante assim, pelo contrário. Como você disse, falto algo. E seria bom se esse algo viesse já nos próximos episódios XD

    E bem lembrando no post, totalmente Shaft feelings, olha só a pose da prima lá (entre outros quadros do anime) XD

  6. Projeto Verena

    Ahhhh qual é? Tenho certeza de que vocês gostam de assistir um anime sem compromisso em uma tarde chuvosa.
    Acho que este é o caso de Sankarea: uma série para divertir, por absurda que seja.

  7. castro9

    Tenho minhas ressalvas sobre Sankarea nesse primeiro episódio principalmente sobre os dois personagens que tiveram o foco, mas vou deixar passar no momento porque achei visualmente bonito e o mangá tem um fandom grande me despertando a vontade de saber o porque de tal popularidade.

  8. Eu li o mangá. Ele começou muito bem enquanto tinha um subtom sombrio.
    Mas depois assumiu o discurso de zumbi moe e eu dropei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s