Vamos Falar Sobre Touhou? [Parte 1]

Touhou Project é uma franquia de jogos muito popular no Japão e, embora algumas vezes você não saiba do que se trata, certamente já viu imagens das personagens ou referências espalhadas por aí. Então,  relaxe, dê o play no vídeo abaixo e vamos falar de Touhou!

Touhou Project é uma série de jogos para PC criada pelo Team Shanghai Alice em 1996. O TSA é um grupo de uma pessoa só…  O criador Ota Junya, mais conhecido pelo pseudônimo ZUN, fez tudo sozinho: criou a história, as personagens, desenhou tudo, programou e compôs todas as músicas! É o cara, né? Entretanto, é muito difícil ver uma foto dele, e quando se vê, ele quase sempre está com um copo (ou lata) de cerveja na mão.

O primeiro jogo da série realmente tem cara de “1,2,3 testando” porque nele só temos a protagonista presente, de resto é tudo diferente: a jogabilidade, as personagens… Curiosamente no primeiro jogo da série temos o único personagem masculino, que depois nunca mais aparece.

Atualmente existem treze jogos oficiais da franquia, sem falar nos spin-offs e nos inúmeros doujins. Os cinco primeiros jogos saíram especificamente para o NEC PC-9801, uma plataforma pouco conhecida fora do Japão, mas bastante influente lá e que teve vários jogos populares como Ys e True LoveO primeiro, de 1996, talvez seja o mais destacável por ser o mais diferente de toda a série. Neste jogo, a protagonista Reimu Hakurei ficava no sul da tela e tinha que derrotar os inimigos rebatendo com seu gohei (bastão) uma bola de Ying-Yang que fica quicando pela tela. Se a bola tocar em você, já era.  Também era possível lançar os tradicionais ofudas (que nos próximos jogos virariam metralhadora), mas estes não causam dano nos inimigos, servindo apenas para desviar a rota da bola.

Já no Touhou 2, o paradigma do jogo se torna o conhecido. Marisa Kirisame aparece pela primeira vez. Até o 5, os jogos mantêm o mesmo estilo, possuindo apenas gráficos de 16-bit. Uma curiosidade é que a versão original de Bad Apple!! do Alstroemeria Records/Masayoshi Minoshima, uma das músicas doujin mais famosas de Touhou, tem sua origem no Touhou 3.

Touhou conheceria sua maior glória a partir do sexto jogo em 2002, quando começou a ser lançado para Windows.
Neste jogo, uma névoa escarlate toma os céus de Gensokyo, bloqueando o sol e deixando a terra fria e escura. Você pode controlar Reimu ou Marisa, a primeira indo investigar a situação por seu dever como miko (sacerdotisa), e a segunda apenas para pilhar o responsável pelo fenômeno, que provavelmente deve possuir itens interessantes

Este jogo introduz várias personagens importantes da série. A única personagem realmente “secundária” neste jogo é Rumia, as outras todas reaparecem em pelo menos um dos principais jogos, seja como personagem jogável ou como chefe.

As músicas deste jogo são um destaque à parte. As músicas de Touhou como um todo certamente são o motivo de muitas pessoas gostarem da série, ou pelo menos servem de grande atrativo. Se ZUN fosse apenas compositor ele já seria alguém de destacável talento, tanto que já afirmaram que “Zun é a reencarnação de Mozart com fetiche por lolis”. A seguir, as personagens mais importantes deste jogo – já que a série vai infinitamente além quando o assunto é personagens – e suas marcantes trilhas sonoras:

Cirno: A pequena (e irritante, opinião do autor) fada de gelo aparece como chefe do estágio 2. É uma personagem infantil, geralmente bem fraca e fácil de vencer. Seu tema:

Hong Meiling: Apesar de parecer bem humana, Meiling é um youkai. Como o próprio nome sugere, é uma personagem com ligações à China, seja por praticar artes marciais chinesas, seja por usar um chapéu parecido com o de Mao Tsé-Tung. Seus golpes lembram pétalas de flores. Destaque para o tema de seu estágio, uma das mais bonitas do jogo. Ela é a guardiã do portão da mansão onde Remillia reside.

Patchouli Knowledge: É uma maga que mora na Scarlet Devil Mansion também. Particularmente gosta bastante da biblioteca. As magias que ela solta são enormes, é neste estágio que o jogo realmente fica difícil. Seu tema:

Sakuya Izayoi: Sakuya é a única “humana” do grupo, e deve ter entre 16 e 20 anos (todas as outras possuem várias dezenas ou centenas de anos, apesar da aparência). É a maid-chefe da mansão e  guarda-costas exclusiva de Remilia. Também consegue congelar o tempo e criar facas do nada. Chefe bastante difícil do estágio 5, e reaparece como sub-chefe no estágio 6 (final). Já no Touhou 7 se torna personagem jogável. Abaixo, seu tema do Touhou 10, música que merece destaque:

Remilia Scarlet: Uma vampira, a dona da mansão. Como tal, é intolerante à luz, por isso só sai da mansão à noite. Tentou mudar isso ao invocar a névoa escarlate que bloqueava os raios de sol. Se alimenta de sangue e é muito cruel, sendo conhecida como Scarlet Devil. Ela se torna jogável junto a Sakuya em outros jogos. O tema de sua batalha:

Flandre Scarlet: A irmã mais nova de Remilia, que se mantinha isolada na mansão por causa de seus assustadores poderes, é o chefe secreto do jogo, habilitável se você terminou o jogo pelo menos no modo “normal” e sem usar continues, o que é quase impossível. Seu tema originou o primeiro vídeo deste post, logo acima. Curiosidade: o nome da música é U.N. Owen was her? e foi inspirada em uma personagem da escritora inglesa Agatha Christie no livro “And Then There Were None”.


Por último (só para ser do contra), mas não menos importantes, nossas protagonistas:

Reimu Hakurei: É a personagem principal, aparecendo em todos os jogos e sendo jogável em todos eles. A sacerdotisa do Hakurei Shrine, o portal que liga Gensokyo com o mundo real, é humana e sempre que ocorre algum evento estraho no mundo mágico, lá vai ela investigar.  Por ser a personagem que utilizamos para jogar, a princípio ela não teria um tema… Isso se não fosse por Touhou 8 – Imperishable Night, no qual existe uma fase em que você pode enfrentá-la.

Marisa Kirisame: Marisa é uma humana (e maga) que mora na Floresta da Magia. Ela é personagem jogável em todos os jogos (desde que apareceu). No entanto, a “bruxinha” geralmente se envolve nas tramas por interesse próprio, para futricar ou ver se encontra “algo para levar”. Esse é outro adorável costume da garota: pegar emprestado para sempre as coisas dos outros sem que eles saibam.

Entre os jogos oficiais, existem alguns jogos de luta também, o 7.5, o 10.5 e o 12.3, sendo os dois últimos expansões do primeiro. Este jogo é mais “amigável” para quem quer algo menos paranoico. Na verdade, este jogo é muito popular por este fator, e por ser multiplayer, obviamente. Mas não por isso desagrada os hardcores: o jogo possui um sistema de cartas e decks consideravelmente complexo para fazer uso de habilidades especiais. Outra coisa interessante é que o clima do jogo se altera constantemente, produzindo efeitos na luta como por exemplo, aumentar o dano de golpes no ar, ou aproximar os jogadores automaticamente.

Tá tudo muito bom, tá tudo muito bem mas uma breve introdução da franquia e dos jogos não é o suficiente para entender o porquê de Touhou ter um fandom tão grande. No próximo post sobre o assunto, vamos deixar as coisas bem mais interessantes por aqui. E que a força esteja com todos nós.

1 comentário

Arquivado em Reviews

Uma resposta para “Vamos Falar Sobre Touhou? [Parte 1]

  1. Pingback: Vamos falar sobre Touhou? [Parte 2] | Nahel Argama

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s