O Maravilhoso Mundo de Toriko

Qual o segredo do sucesso do manga mais bem-sucedido da JUMP nos últimos cinco anos?

Sim, Toriko é simplesmente o lançamento mais bem-sucedido dos últimos cinco anos na maior revista de manga no Japão, a Shunkan Shounen JUMP. Apesar do já concluído Bakuman. registrar maiores vendas dos volumes fechados [tankohon], Toriko já atrai mais leitores à revista [e isso reflete-se nas altas posições obtidas nas pesquisas semanais de popularidade efetuadas por esta – cujo resultado inclusive determina a ordem de publicação no índice [em inglês, Table of Contents, ou simplesmente ToC] daquela] e possui amplo potencial tanto em possibilidades para a história [quatro anos de publicação e o sentimento é de estarmos ainda no começo] quanto em potencial de lucro para os realizadores.

Geralmente buscamos em uma obra tanto personagens ao menos carismáticos quanto um enredo que seja instigante e envolvente. Uma obra como FullMetal Alchemist pode ser tremendamente supervalorizada, mas tem como ponto-chave do algo inesperado sucesso justamente esses dois elementos – já Toriko é apenas bom nestes quesitos, principalmente em seus primeiros volumes.

Ao contrário do que muitos devem estar pensando, aqui não estamos pensando em mundo no sentido de lugares que podemos desenhar em um grande e complexo mapa – até aparece um esboço do mundo de Toriko em mapa no manga, mas sem qualquer relevância. A verdadeira magia presente em Toriko é o fato do mundo no qual os personagens vivem ser uma mistura de loja de doces com parque de diversões.

Como o primeiro, é lotado de verdadeiros sonhos para os sentidos; claro que o manga é restrito a parte visual da história, mas a comparação com o mundo real dá conta do recado. Imagine se comidas favoritas de muitos como pipoca e Coca-Cola tivessem versões ainda melhores que as presentes no mundo real? Essas e outras possibilidades são exploradas aqui, inclusive em misturas algo exóticas como o molho de soja [shoyu] extraído diretamente de um gafanhoto.

Uma curiosidade neste sentido é que em uma edição da Shounen JUMP foi encartada com uma página colorida que utilizou o mesmo processo de inserção de fragrância dos folhetos de empresas como Avon e Natura, sem dúvida um bônus interessante – mas como a atual experiência 3D nos cinemas é altamente dispensável, meramente um capricho a mais.

Assim partimos para o aspecto principal do mundo de Toriko: ser um imenso parque de diversões, na medida para a grande aventura que a série propõe a ser. Assim, é um mundo vasto, perigoso e planejado [principalmente mais do que aparenta] para fazer render o máximo de diversão possível aos leitores da obra – e funciona.

Primeiramente cabe falarmos sobre os desafios que a própria natureza do lugar traz: tanto há [usando a feliz expressão do anime] os gourmet monster, feras extremamente perigosas e muitas também bem saborosas, tanto que assim dão origem ao mais clássico método de medição de poder aqui, que é através dos níveis de captura; quanto a própria natureza, além de variada [em até aqui quase duzentos capítulos já foram abordados de desertos a geleiras, passando por florestas] sabe como inserir fatores de dificuldade.

E isso porque a série limita-se até aqui em abordar o chamado mundo humano – em um dos muitos pontos nos quais a série cria sua mitologia é destacado como o mundo gourmet é aonde a verdadeira aventura espera os personagens. Claro, o manga terá muitos anos para abordar isso e muito mais.

E um aspecto de destaque aqui é como a introdução da mitologia da série aqui soa natural: nomes como God, Nitro e Acacia parecem pertencer realmente aquele universo tão maior que o protagonista. Sim, temos aqui uma obra com óbvia influência de One Piece, aonde também a grande jornada do protagonista mesmo sendo épica não é única neste aspecto – voltando a FMA, esta é claramente uma obra calcada na jornada dos irmãos Elric, importante ao ponto de esgotar ao seu final todo o universo da obra. Toriko e Komatsu são claramente fora do comum, mas são apenas uma das histórias que poderiam ser exploradas ali – ou ao menos o manga dá esta impressão, o que continua sendo digno de nota.

Além da natureza e da mitologia deste mundo, o grupo de vilões presente na série é até aqui mais uma promessa que algo realmente notável. Mas mesmo sendo tratado em constante banho-maria, o Bishoukukai traz o mesmo ar misterioso e ao mesmo tempo inexplorado dos batalhões [e hierarquia relacionada na Soul Society] de Bleach; claro, serve principalmente como um verdadeiro repositório de personalidades bacanudas – em nosso caso temos os populares Staajyun e Tommyrod – mas realmente existe algo épico e satisfatório por trás? Eles também guardam mistérios com potencial de abalar o sistema que é padrão no mundo que vive a era da comida? Pelo demonstrado até aqui, o leitor pode contar com um manga que abordará isso e muito mais em uma imensa crescente.

Claro que um manga com personagens simples mas bacanas como Toriko e Zebra e que mesmo nos capítulos mais calmos traz momentos como as belas refeições apresentadas pode muito bem ser um sucesso, mas arcos de pura porrada que ao mesmo tempo vão contando facetas que só tendem a ser exploradas mais a frente [exemplo é o GT Robo, que mais de 100 capítulos após sua primeira aparição foi revelado ser inspirado no animal algo lendário Nitro] com um bom resultado – este é o mundo maravilhoso que também é o plus, o diferecial de Toriko.

8 Comentários

Arquivado em Curiosidades, Reviews

8 Respostas para “O Maravilhoso Mundo de Toriko

  1. Li uns 5 caps de Toriko, não me fisgou e não gostei. =X

    • Gatts

      O começo de Toriko é meio chatinho mesmo. Mas melhora muito, para você ter uma idéia um amigo meu não se convenceu cm Toriko durante uns 60 capítulos, gostava só um pouco, mas depois da saga da Geleira do Inferno, Toriko mostra o seu real potencial e hoje meu amigo é um dos maiores fãs da obra.

      Anda estou no 132, mas go go Toriko!

  2. Alexx

    Li 170 capítulos em 1 semana, me amarrei, muito bom xD
    Alguém que esteja acompanhando o anime sabe me dizer se vale a pena comparado ao mangá?

    • Diemerson

      Não vale. Comecei pelo anime, mas depois que li o mangá e descobri o tanto que o anime é censurado, parei de assistir.

  3. Eu só vejo o Anime e não o Mangá, mas posso dizer que vale muito a pena assistir, não minha opinião vale muito a comédia o grafismo e a animação, vale a pena ver ^_^

  4. Igor Snow

    engraçado é que os dois primeiros comentários são completos opostos kkkk
    Gostei do post, não conhecia toriko (só sabia o nome e tinha uma impressão totalmente errada da série, então, não conhecia) e até que me interessei. Infelizmente não gosto de séries grandes, mas vou fazer um esforço nessas férias.

  5. Pingback: NA MAG #02: Nisekoi | Nahel Argama

  6. Raiko

    Quando vi o lançamento dos animes, me deparei com um anime que o universo era de comida, de inicio achei infantil e nao tive interesse em assistilo, isso so de ler a sinopse, mas depois resolvi dar uma olhada nos episodios, e o mais surpreendente acontece, Toriko é um otimo anime! um dos melhores da atualidade na minha opiniao, eu recomendo, o unico ponto fraco e defeito de Toriko é que quando você o assiste, bate uma fome monstruosa xD .

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s